Revista do Vestibular da Uerj
Uerj DSEA SR-1
Rio de Janeiro, 19/11/2017
Ano 11, n. 29, 2018
ISSN 1984-1604

Questões comentadas

Busca pela Disciplina História

    2016 - Exame Discursivo - Questão 1
    Disciplina: História

    Ano 8, n. 24, ano 2015



    O mapa de Tenochtitlán - capital do Império Asteca à época da conquista da América no século XVI - auxilia a compreensão dos relatos dos espanhóis, cujas reações diante da cidade revelam características daquela sociedade pré-colombiana.
    Indique duas características da sociedade asteca que causaram as reações expressadas nos relatos acima. Cite, ainda, dois objetivos da conquista europeia da América.

    Objetivo: Indicar características da sociedade asteca e objetivos europeus com a conquista da América.
    Item do programa: Os processos de conquista e colonização europeia na América, África e Ásia
    Subitem do programa: Particularidades das sociedades pré-colombianas ameríndias, asiáticas e africanas

    Comentário da questão:

    O encontro de culturas que ocorreu no contexto do Novo Mundo, no século XVI, teve significados diferentes para as sociedades que dele participaram. Para as sociedades europeias, esse encontro propiciou enriquecimento, fortalecimento político e imposição de sua cultura. As sociedades americanas, por sua vez, passaram, de um modo geral, por processos de dominação e pauperização com expressivas perdas demográficas. Apesar da imposição dos valores europeus às sociedades da América pré-colombiana, não faltaram relatos que evidenciam admiração e surpresa com diversas das características das sociedades que aqui viviam por ocasião da conquista da América. A partir de importante registro iconográfico, feito pelos próprios nativos, a cidade de Tenochtitlán é representada no meio de um grande lago, com canais e estradas aterradas ligando as diversas ilhas que a compunham. No mapa de 1524, de autoria desconhecida, mas atribuído a um nativo, também estão representadas construções, com destaque para o templo principal e a grande praça onde funcionava o mercado da capital asteca. Dois relatos de conquistadores espanhóis, que exaltam a arquitetura, a monumentalidade e a expressividade das construções astecas, combinados com os mapas, indicam importantes características daquela sociedade pré-colombiana, como a sua riqueza material, a extensão da urbe, a prática de atividades comerciais e a intensa urbanização. Os objetivos da conquista europeia, no começo dos tempos Modernos, foram a expansão da fé católica, a extração de metais preciosos, a obtenção de matéria-prima e a exploração da mão de obra nativa em meio ao processo de fortalecimento das monarquias europeias.

     

    2016 - Exame Discursivo - Questão 2
    Disciplina: História

    Ano 8, n. 24, ano 2015



    A presença holandesa no Brasil, entre 1630 e 1654, interferiu nos rumos da colonização portuguesa nas terras americanas. O governo de Nassau (1637-1644) tornou-se uma referência, estimulando a produção de registros, como as pinturas de Frans Post.
    Identifique o principal objetivo econômico da presença holandesa no Brasil, no século XVII. Em seguida, apresente duas realizações do governo de Nassau que tenham contribuído para sua notoriedade histórica.

    Objetivo: Identificar objetivos e realizações da ocupação holandesa no nordeste do Brasil, no século XVII.
    Item do programa: A América colonial portuguesa
    Subitem do programa: Ocupação e exploração econômica do território

    Item do programa 2: O Antigo Regime

    Subitem do programa: Sociedade estamental, suas práticas sociais e políticas

    Comentário da questão:

    O comércio do açúcar tornou-se negócio lucrativo no decorrer da expansão marítima europeia nos séculos XV e XVI, fomentando a criação de espaços produtivos em diversas regiões coloniais cujas condições climáticas favoreciam o cultivo de cana. No caso português, tais atividades viabilizaram a ocupação e a exploração econômica em São Thomé e Príncipe, Madeira e Açores, na África. Por ocasião da colonização das terras do Brasil, a lavoura de cana e a produção de açúcar vieram a ser implementadas nos termos de latifúndios monocultores escravistas, cujo desenvolvimento mais expressivo, entre meados do século XVI e meados do século XVII, condicionou a colonização do litoral da atual região nordeste. Note-se que a participação holandesa nos negócios do açúcar sempre fora significativa no contexto das ações portuguesas na expansão da lavoura de cana em suas possessões coloniais. As rivalidades políticas entre o governo da Espanha e os holandeses, interessados na autonomia dos Países Baixos sob a jurisdição da monarquia espanhola, ampliaram-se durante a união das coroas ibéricas, entre 1580 e 1640. Prejudicados nos seus interesses comerciais, os holandeses, por meio da Companhia Holandesa das Índias Ocidentais, organizaram a invasão e ocupação das áreas produtoras de açúcar no litoral nordestino brasileiro, logrando êxito a partir de 1630, destacando-se o período do governo de Nassau entre 1637 e 1644. Tendo em vista os interesses holandeses no comércio de açúcar e também a implementação de práticas político-administrativas garantidoras de sua presença, as ações de Nassau pautaram-se em diversas iniciativas, entre as quais destacaram-se: a realização e consolidação de alianças com os senhores de engenho locais; a recuperação das lavouras prejudicadas pelas guerras de ocupação; a ampliação dos domínios controlados pelos holandeses nas regiões produtoras de açúcar no Nordeste;  a conquista de entrepostos de escravos no litoral africano, visando às demandas por mão de obra das regiões ocupadas; a promoção da tolerância religiosa com relação a católicos, protestantes e judeus; o estímulo à presença de pintores e  naturalistas, entre eles Frans Post, autor de obras referenciais, como as reproduzidas no enunciado da questão, além de uma série de obras de intervenção arquitetônica destinadas ao embelezamento de Recife e Olinda.

     

    2016 - Exame Discursivo - Questão 3
    Disciplina: História

    Ano 8, n. 24, ano 2015



    René Descartes (1596-1650) e Galileu Galilei (1564-1642) são alguns dos principais integrantes da chamada Revolução Científica do século XVII, processo que alterou visões de mundo e hábitos de pensamento da época.
    Aponte uma proposta da Revolução Científica do século XVII e um motivo para o posicionamento contrário da Igreja Católica às proposições dessa Revolução.

    Objetivo: Identificar proposições da Revolução Científica do século XVII e motivações da Igreja Católica contrárias a essas proposições.
    Item do programa: A Ilustração e a crise do Antigo Regime
    Subitem do programa: A Revolução Científica

    Comentário da questão:

    No decorrer do século XVII, um conjunto expressivo e diversificado de pensadores, particularmente no campo da matemática, da física e da astronomia, formulou reflexões e procedimentos de investigação associados ao que passou a ser conhecido como o método científico moderno. Por meio de novos instrumentos e da valorização da observação dos fenômenos naturais, criaram formas de conhecer baseadas no experimentalismo, na racionalidade, na crescente uniformização da linguagem matemática. Assim, viabilizaram novos conhecimentos para a elaboração de hipóteses e teorias gerais acerca, por exemplo, do movimento dos corpos, como foi o caso da mecânica clássica newtoniana. As obras de Isaac Newton, Galileu Galilei, René Descartes, entre outros, contribuíram para a expansão de questionamentos variados, destacando-se a refutação do geocentrismo para o entendimento do cosmos, na defesa da perspectiva heliocêntrica. Em tempos de propagação das religiões protestantes no Ocidente europeu, tais questionamentos afrontaram dogmas tradicionais defendidos pela Igreja Católica, pondo em xeque sua autoridade. Em diversas situações, a Igreja Católica veio a proibir ou censurar formulações derivadas da investigação científica, como apontado pelo texto da carta em que Descartes temia ocorrer com ele o que ocorrera com Galileu, um dos que havia defendido o movimento da Terra em torno do Sol.

     

    2016 - Exame Discursivo - Questão 4
    Disciplina: História

    Ano 8, n. 24, ano 2015



    Na pintura de Pompeo Batoni, de 1769, estão representados dois imperadores austríacos do Antigo Regime: José II e seu irmão Leopoldo II. No detalhe, pode-se observar um exemplar em francês do livro O espírito das leis, de Montesquieu, expoente da Ilustração ou Iluminismo. A presença do livro na pintura não é meramente decorativa, mas sim reveladora de modos e práticas de governo adotados por diversos Estados europeus no século XVIII.

    Nomeie esse modo de governar. Em seguida, apresente uma ação promovida por monarquias europeias que empreenderam tais práticas.

    Objetivo: Reconhecer contexto do modo de governar denominado despotismo esclarecido.
    Item do programa: A Ilustração e a crise do Antigo Regime
    Subitem do programa: O Movimento Iluminista

    Subitem do programa: O Despotismo Esclarecido

    Comentário da questão:

    Ao longo do século XVIII, avançaram as críticas contra o que os revolucionários franceses chamaram de Antigo Regime. Caracterizado pelo Absolutismo na política, pelo mercantilismo e feudalismo na economia e pelo modelo de sociedade estamental, todo o conjunto de características das sociedades europeias nos Tempos Modernos sofria um profundo processo de desgaste e erosão potencializado pela Ilustração ou Iluminismo. Os defensores do Antigo Regime, em especial, do Absolutismo monárquico não assistiram passivamente aos questionamentos promovidos. Na França, os descendentes do “rei Sol” Luís XIV procuraram reforçar sua autoridade e poder. Em Portugal, Espanha, Áustria, Rússia e Prússia, a estratégia foi diferente: incorporar parte das críticas iluministas como forma de manter o Absolutismo e a ordem que se via questionada pela Ilustração. Posteriormente, esse conjunto de modos e práticas de governo foi denominado como "despotismo esclarecido". A legitimidade dos soberanos não passava apenas pelo Direito Divino, mas também pelo esclarecimento propiciado pela razão daqueles que, desde a infância, foram preparados para a arte de governo. Esse movimento, considerado pela historiografia mais recente como integrante do reformismo ilustrado, teve sua principal marca na adoção parcial de ideias e propostas da Ilustração ou Iluminismo para a continuidade e o fortalecimento do Absolutismo Monárquico. Note-se que a pintura de Pompeo de Batoni retrata dois imperadores austríacos, o Kaiser José II e seu irmão que o sucederia, Leopoldo II, com um detalhe especial: a presença do livro O espírito das leis, de Montesquieu, expoente da Ilustração ou Iluminismo. A partir da imagem, podem ser ser identificadas medidas desse contexto político: valorização das ciências, das artes e da literatura; crescimento econômico e ampliação da arrecadação; aumento do controle, da centralização e da fiscalização; promoção de reformas administrativas, políticas e urbanas. Essas foram algumas das ações promovidas por monarquias europeias adeptas do despotismo esclarecido ou reformismo ilustrado, como a Suécia com Gustavo III, a Prússia com o Kaiser Frederico II, a Espanha com Carlos III e Carlos IV, a Rússia com a Czarina Catarina II, a Grande, e Portugal com D. José I e Sebastião José de Carvalho e Melo, seu homem forte, mas conhecido pelo seu título nobiliárquico – o Marquês de Pombal.

     

    2016 - Exame Discursivo - Questão 5
    Disciplina: História

    Ano 8, n. 24, ano 2015



    Os dados sobre a malha ferroviária do Império do Brasil e dos E.U.A. estão relacionados a importantes transformações ocorridas no século XIX.
    Cite um grupo social ou setor econômico que financiou a construção de ferrovias no Brasil nesse período. Apresente, também, duas transformações econômicas, uma no Brasil e outra nos E.U.A., associadas aos ritmos das alterações nas malhas ferroviárias.

    Objetivo: Indicar dados relacionados à expansão da malha ferroviária no Brasil e nos E.U.A. no século XIX.
    Item do programa: Os processos de formação dos estados nacionais americanos
    Subitem do programa: Particularidades sócio-históricas do processo de constituição e consolidação do Império do Brasil

    Comentário da questão:

    Ao longo do século XIX, o desenvolvimento capitalista esteve diretamente associado a um dos maiores símbolos do processo de industrialização iniciado com a Primeira Revolução Industrial: a construção de ferrovias. Desse modo, a extensão da malha ferroviária de um país, com seus ramais e redes interconectadas são dados que fornecem indicações consistentes sobre a natureza e os efeitos dos processos de modernização econômica ocorridos ao longo do século XIX. Os dados sobre a malha ferroviária no Brasil e nos E.U.A., durante os mesmos anos do século XIX, são o ponto de partida para identificar o papel de capitais privados do setor cafeeiro nacional (cafeicultores) ou do setor financeiro estrangeiro (banqueiros britânicos) no financiamento do empreendimento no Império do Brasil. Os ritmos diferenciados da expansão da malha ferroviária, que se distanciam ao longo do intervalo de tempo registrado na tabela, indicam efeitos econômicos no Brasil e nos E.U.A., decorrentes da construção de ferrovias na intensidade registrada como, por exemplo, a integração de diferentes regiões, a facilitação da circulação de pessoas e a ampliação do transporte de mercadorias. Destacam-se ainda as transformações específicas ocorridas no Brasil como a exportação de produtos primários e também o escoamento da produção cafeeira. Quanto às transformações específicas nos E.U.A., os efeitos da significativa ampliação da malha ferroviária apresentam-se na ocupação do Oeste, no crescimento demográfico, na consolidação do capitalismo e no aumento do mercado consumidor daquele país.

     

    2016 - Exame Discursivo - Questão 6
    Disciplina: História

    Ano 8, n. 24, ano 2015



    A abolição da escravatura no Brasil resultou de manifestações políticas e sociais que mobilizaram diferentes grupos, como ilustra a fotografia.
    Cite dois grupos sociais diretamente envolvidos no movimento abolicionista. Identifique um grupo opositor a esse movimento e uma das razões para seu posicionamento contrário.

    Objetivo: Identificar grupos sociais favoráveis e contrários ao movimento abolicionista no Brasil, em finais do século XIX.
    Item do programa: O Brasil da monarquia à república
    Subitem do programa: Projetos de república

    Subitem do programa: Trabalhadores, camponeses e manifestações populares na transição para a república no Brasil

    Comentário da questão:

    A foto da missa campal em ação de graças pela abolição da escravidão, em maio de 1888, é um dos poucos registros fotográficos que simboliza o quanto tal questão veio a mobilizar a sociedade brasileira nas décadas finais do século XIX. O debate sobre o fim da escravidão se desenrolou ao longo do século XIX, inserindo-se nos conflitos políticos e sociais que condicionaram as ações do Estado Imperial. No decorrer da primeira metade do século XIX, esteve associado às propostas sobre a extinção do tráfico intercontinental de escravos africanos. Com a ilegalidade desse tráfico decretada em 1850, o fim da escravidão ocupou cada vez mais a pauta das reformas políticas a serem enfrentadas pelo governo monárquico, o que se acentuou por ocasião das demandas e problemas ocasionados pela Guerra da Tríplice Aliança (1864-1870), ou Guerra do Paraguai. Especialmente na década de 1880, organizou-se o movimento abolicionista, envolvendo segmentos sociais diversos, tais como: letrados (Joaquim Nabuco, Luis Gama, André Rebouças, José do Patrocínio, Machado de Assis, entre outros); lideranças políticas, magistrados, militares e proprietários rurais, parte deles adeptos do republicanismo, outros defensores da imigração subvencionada pelo poder estatal; irmandades religiosas; libertos e escravos partidários de ações rebeldes para a conquista da liberdade. Mas houve também significativa oposição ao fim da escravidão, sobretudo por parte de proprietários rurais que, mesmo com a ilegalidade do tráfico intercontinental decretada em 1850, valeram-se de estratégias variadas para manter e ampliar seus plantéis de escravos. O caso mais notório desse posicionamento foi dos cafeicultores da região do Vale do Paraíba fluminense, críticos do abolicionismo e das propostas de fim da escravidão sem a indenização de antigos proprietários, proposta vitoriosa com a assinatura da Lei Áurea.

     

    2016 - Exame Discursivo - Questão 7
    Disciplina: História

    Ano 8, n. 24, ano 2015



    Nos documentos acima podem ser reconhecidos posicionamentos e atitudes que marcaram a atuação de lideranças da União Democrática Nacional (UDN), partido que existiu de 1945 até 1965.
    A partir desses documentos, indique duas características da atuação udenista em meio às disputas políticas e partidárias do período. Cite, ainda, uma iniciativa ou uma crise na qual o partido se envolveu.

    Objetivo: Reconhecer características da atuação de partido político de destaque no contexto da experiência democrática de 1945-1964 no Brasil.
    Item do programa: África, Ásia e América Latina em um mundo bipolar
    Subitem do programa: Relações entre Estado, capital e sociedade civil no Brasil urbano-industrial

    Comentário da questão:

    Apesar do Brasil ter vivido, de 1945 a 1964, uma rica experiência democrática situada entre dois regimes autoritários, tal período é desvalorizado por uma historiografia tradicional que o considera como uma República Populista ou uma República Liberal Conservadora. A historiografia recente tem revelado, a partir de pesquisas de opinião pública realizadas no começo da década de 1960 em algumas capitais brasileiras, que a população tinha níveis de preferência partidária semelhantes aos das democracias mais maduras na Europa e nos E.U.A. A população, ao contrário do que se pensava, não apenas se identificava com partidos e lideranças, mas também com projetos e propostas. Nesse cenário, destaca-se a UDN (União Democrática Nacional), que existiu da redemocratização de 1945 até 1965, quando todos os partidos nacionais foram extintos pelo AI 2 (Ato Institucional N. 2) outorgado na Ditadura. 

    Os documentos históricos de diferentes naturezas reunidos – artigo de jornal de autoria do líder udenista Carlos Lacerda, folheto da literatura de cordel que critica a atuação do partido em 1955 e trecho da convenção partidária da UDN de 1957 – revelam práticas, estratégias e propostas dessa importante agremiação política. Da leitura dos documentos emergem características, tais como a ação antigetulista, a retórica moralista, a defesa do golpismo, a postura antidemocrática, a perspectiva antitrabalhista, a insistência na associação dos adversários políticos a práticas corruptas e o questionamento dos resultados eleitorais, revelando os alcances e os limites do liberalismo sustentado pelo partido. Nesse contexto, algumas das iniciativas da UDN foram as seguintes: a oposição ao Estado Novo, o apoio à deposição de Getúlio Vargas (1945), o questionamento da posse de Vargas com a “tese da maioria absoluta” (1950), o apoio à campanha “O Petróleo é Nosso”, a defesa da renúncia ou afastamento de Vargas (1954), a tentativa de impedir a posse de Juscelino Kubitschek e João Goulart (1955), o apoio ao candidato Jânio Quadros (1960), a oposição às reformas de base e o apoio ao golpe de 1964 e à Ditadura. Algumas das crises do período que tiveram a participação da UDN foram o suicídio de Vargas (1954), a Novembrada ou contragolpe do general Henrique Lott (1955), a renúncia de Jânio Quadros (1961) e a deposição de João Goulart (1964).

     

    2016 - Exame Discursivo - Questão 8
    Disciplina: História

    Ano 8, n. 24, ano 2015



    Variadas foram as repercussões internacionais à deposição do Presidente João Goulart, em abril de 1964, como expressam os depoimentos citados.
    Considerando a natureza do movimento que depôs o presidente brasileiro em 1964, identifique a principal diferença entre o posicionamento do secretário de Estado norte-americano e o do deputado mexicano. Em seguida, apresente um aspecto do contexto internacional da época que explique o posicionamento dos E.U.A.

    Objetivo: Discriminar repercussões internacionais do golpe militar no Brasil em 1964.
    Item do programa: As ditaduras civil-militares na América Latina e os movimentos de resistência
    Subitem do programa: Crescimento econômico e desenvolvimento

    Item do programa 2: África, Ásia e América Latina em um mundo bipolar

    Subitem do programa: Contestações revolucionárias nacionalistas e de esquerda na América Latina

    Comentário da questão:

    O movimento que depôs o presidente João Goulart em 1964 representou um divisor de águas na história política da sociedade brasileira contemporânea. Tal aspecto foi intensamente debatido e analisado por ocasião dos cinquenta anos desse episódio, ocorrido no ano de 2014. Entre outros aspectos, destacou-se ainda mais a dimensão autoritária e cerceadora das liberdades democráticas do regime de governo vigente entre 1964 e 1985, amplificando ainda mais os resultados dos trabalhos da Comissão da Verdade. Nesse contexto, as interpretações sobre os significados e a natureza do movimento de deposição do Presidente João Goulart confluíram para a perspectiva de golpe de estado. No calor da hora dos acontecimentos, em abril de 1964, entretanto, a polêmica não era pequena e as opiniões dos variados atores sociais divergiram. As divergências apontavam para o ambiente de intensos conflitos entre projetos e interesses opostos quanto aos rumos das decisões da política interna e da política externa do Estado brasileiro. No que se refere aos posicionamentos ilustrados pelo secretário norte-americano e pelo deputado mexicano, percebe-se que o primeiro apoiou a deposição do presidente João Goulart e a entendeu como movimento de defesa da constituição e da democracia; no caso do representante do México, houve a condenação da deposição do presidente brasileiro e a compreensão de que a mesma fora como um golpe do grande capital internacional nos países do Terceiro Mundo. A perspectiva de entendimento e de apoio do representante norte-americano esteve associada à bipolaridade das relações internacionais na Guerra Fria, no início da década de 1960, momento no qual se ampliaram as rivalidades entre os E.U.A. e Cuba, então convertida ao socialismo, o que repercutiu diretamente nos interesses de investidores e capitais norte-americanos nos países latino-americanos. A diplomacia estadunidense, nessa situação, opôs-se à política externa de não alinhamento, defendida pelo governo de João Goulart, no contexto da defesa da soberania dos países do Terceiro Mundo.

     

    2016 - Exame Discursivo - Questão 9
    Disciplina: História

    Ano 8, n. 24, ano 2015



    As maneiras de apresentar povos e territórios possuem variações históricas associadas às relações estabelecidas entre sociedades e culturas. As imagens acima sobre o continente africano ilustram essas variações.
    A partir da comparação entre as imagens, identifique a principal diferença quanto a essas representações do continente africano. Em seguida, cite um processo histórico contemporâneo que explique a diferença de perspectiva entre a imagem 1 e a imagem 2.

    Objetivo: Discriminar diferenças quanto às formas de caracterização do continente africano.
    Item do programa: África, Ásia e América Latina em um mundo bipolar
    Subitem do programa: Pan-africanismo, neocolonialismo e soberania nacional

    Comentário da questão:

    As variadas formas de apresentar e caracterizar povos e sociedades africanas dependeram, entre outros aspectos, das relações estabelecidas, sobretudo, com as sociedades europeias. Alvo de processos de conquista e colonização, de forma mais acentuada entre os séculos XV e XX, as sociedades africanas foram representadas em textos e imagens variados, fortemente marcados por perspectivas estereotipadas, racialistas e preconceituosas, muitas delas justificadoras e viabilizadoras das ações de exploração de suas riquezas hidrominerais, de sua mão de obra e de suas potencialidades comerciais. As imagens em análise ilustram diferenças de representação significativas. A imagem 1 associa o continente africano ao exotismo de sua natureza e de sua fauna; já a imagem 2 destaca sua diversidade humana e sociocultural. Mesmo sendo imagens que circulam simultaneamente na internet na atualidade, as diferenças entre ambas apontam para mudanças históricas que afetaram as sociedades africanas no decorrer do século XX e que interferiram na cada vez maior valorização da diversidade étnica e cultural dos povos africanos. Entre essas mudanças, encontram-se: os movimentos de descolonização na África, associados ao reconhecimento da soberania e das identidades dos povos africanos; a ampliação das críticas internacionais às teorias raciais e ao etnocentrismo, após a Segunda Guerra Mundial (1939-1945); a condenação dos efeitos do neocolonialismo; a difusão do pan-africanismo; as repercussões internacionais do fim do Apartheid na criminalização e extinção de práticas de segregação racial; a valorização das heranças culturais africanas em sociedades americanas e europeias; os desdobramentos simbólicos da Primavera Árabe no norte da África, no que concerne à mobilização popular e à defesa da pluralidade; e, por fim, a revisão e divulgação das histórias dos povos africanos, por meio da historiografia e da literatura.

     

    2016 - Exame Discursivo - Questão 10
    Disciplina: História

    Ano 8, n. 24, ano 2015



    As abordagens das animações cinematográficas indicam mudanças na representação dos gêneros masculino e feminino e do papel da mulher nas sociedades ocidentais, tendo em vista transformações históricas e também a ocorrência de medidas de promoção da igualdade entre os gêneros nas últimas oito décadas.
    Ao comparar as análises feitas nos textos, aponte uma mudança na representação da condição feminina mostrada no filme Frozen.
    Identifique, ainda, um direito ou uma lei conquistados pelas mulheres no Brasil a partir da década de 1930.

    Objetivo: Discriminar representações condição feminina nas sociedades ocidentais em diferentes épocas.
    Item do programa: A construção da hegemonia norte-americana
    Subitem do programa: Características da sociedade liberal burguesa nos E.U.A.

    Item do programa 2: Modernização e modernismos

    Subitem do programa: O papel das vanguardas artísticas e as novas artes industriais - a fotografia, o cinema, o rádio e a arquitetura

    Item do programa 3: Contestação nos anos 1960 e 1970

    Subitem do programa: Direitos humanos e as revoltas de 1968

    Subitem do programa: Revolução sexual, pacifismo, defesa do meio ambiente

    Item do programa 5: Globalização e antiglobalização

    Subitem do programa: A questão ambiental e os movimentos sociais

    Comentário da questão:

    Recentemente, no Brasil e nas demais sociedades ocidentais, a temática da luta contra o preconceito e pela igualdade de gêneros tem se imposto no centro do debate político. Apesar de ataques violentos tentarem desqualificar as reivindicações legítimas das mulheres brasileiras, contribuindo para agravar problemas como a violência doméstica, a diferença salarial e o preconceito, diversas conquistas e avanços sociais, como mudanças na representação da condição feminina, podem ser percebidos nas mais variadas fontes, dentre as quais um dos mais importantes produtos da indústria cultural: o cinema. Feitos por grandes estúdios transnacionais ao longo do século XX e XXI e voltados para o consumo do público infanto-juvenil, o subgênero da indústria cultural com os chamados “filmes de princesas” permite constatar profundas mudanças nas representações dos papeis masculino e feminino, no ideal de feminilidade e nas expectativas diante da mulher em diferentes épocas. Tais mudanças estão diretamente relacionadas a transformações políticas, econômicas, culturais e sociais, como a conquista do direito de voto e a ampliação da participação política, o questionamento ao machismo, o acesso ao mercado de trabalho, o avanço do movimento feminista e a revolução sexual a partir da década de 1960. Com isso, a partir dos cartazes de dois desses filmes – Branca de Neve e os Sete Anões, de 1937, e Frozen, uma aventura congelante, de 2012, e após a leitura de dois textos analíticos, podem-se reconhecer mudanças na representação do papel social da mulher da década de 1930 para o começo do século XXI, como: autonomia feminina, capacidade de iniciativa e de condução do próprio destino, valorização do amor fraternal e crítica ao amor idealizado (“felizes para sempre”, “amor à primeira vista”), relativização do maniqueísmo e preocupação com a carreira e o trabalho, e não apenas com a família e os afazeres domésticos. Superando o ideal feminino retratado em Branca de Neve, essas mudanças indicam conquistas, materializadas em direitos e leis obtidas pelas mulheres no Brasil a partir da década de 1930: direito de voto, lei do divórcio, lei Maria da Penha, licença maternidade, previsão constitucional de igualdade salarial, recebimento de pensão alimentícia pela guarda de filhos e concessão preferencial da titularidade de programas sociais, como o Bolsa Família, para mulheres.

     

    2015 - Exame Discursivo - Questão 1
    Disciplina: História

    Ano 7, n. 20, ano 2014



    Nos séculos XVI e XVII, o surgimento e a expansão de diversas religiões cristãs, genericamente chamadas de protestantes, alteraram as condições políticas e sociais do Ocidente europeu.
    Identifique dois efeitos políticos da expansão das Igrejas protestantes para as sociedades europeias. Apresente, ainda, uma das reações da Igreja Católica a essa expansão.

    Objetivo: Identificar efeitos das reformas protestantes nas sociedades europeias e reações da Igreja Católica, nos séculos XVI e XVII.
    Item do programa: As manifestações filosóficas, artísticas e intelectuais
    Subitem do programa: Reformas religiosas, suas principais propostas e os movimentos de cisão com a Igreja Católica

    Subitem do programa: A Contra-reforma e suas consequências políticas e culturais

    Comentário da questão:

    Na primeira metade do século XVI, no Ocidente europeu, surgiram movimentos religiosos que questionaram princípios doutrinários e práticas políticas e teológicas da Igreja Católica Romana, entre elas a venda de indulgências e os desregramentos morais de autoridades clericais. Pela crítica então efetivada, essas religiões foram designadas genericamente como protestantes. As mais importantes – o luteranismo, o calvinismo e o anglicanismo – expandiram-se e gradualmente se institucionalizaram em diversas regiões europeias, como ilustra o mapa. Apesar das diferenças entre essas religiões protestantes, seu surgimento, expansão e institucionalização alteraram as sociedades europeias, destacando-se os seguintes efeitos políticos e sociais: divisão da cristandade ocidental, no sentido do reconhecimento e da legitimidade de outras religiões cristãs não subordinadas ao papado de Roma; apoio de segmentos burgueses, sobretudo com relação ao calvinismo, tendo em vista o fato de essa religião ter abolido a condenação da usura; apoio de segmentos da nobreza ao luteranismo, em especial nas regiões germânicas, como estratégia de fortalecimento político frente ao governo do Sacro Império Romano-germânico, apoiado pelo papado de Roma, ocasionando o rompimento entre casas dinásticas reinantes; beneficiamento de nobres e monarcas que usufruíram do confisco de terras da Igreja católica, nas regiões de expansão dos protestantismos; ocorrência de número expressivo de guerras de religião, nos séculos XVI e XVII, na França, na Inglaterra e no Sacro Império. Abalada pela expansão das religiões protestantes, a Igreja Católica reagiu por meio de algumas ações, como, por exemplo, a realização do Concílio de Trento, implementando algumas decisões e práticas tais como: condenação da venda de indulgências; reafirmação do poder do Papa; reformulação do Tribunal da Santa Inquisição e reforço de ações persecutórias contra os considerados hereges; criação de seminários visando à formação teológica do clero secular e estímulo à ação missionária de ordens religiosas, destacando-se a Companhia de Jesus na catequese de populações ameríndias nas possessões coloniais ibéricas.

     

    2015 - Exame Discursivo - Questão 2
    Disciplina: História

    Ano 7, n. 20, ano 2014



    As imagens remetem a dois marcos históricos do processo de conquista e ocupação da região amazônica pela Coroa de Portugal: a construção do Real Forte do Príncipe da Beira na margem direita do Rio Guaporé, entre 1776 e 1783, e a expedição à região do Amazonas comandada por Pedro Teixeira, ocorrida entre 1637 e 1639.
    Identifique duas estratégias da colonização portuguesa na Amazônia ao longo dos séculos XVII e XVIII. Em seguida, aponte duas caracteríscas físicas ou demográficas dessa região que tenham interferido nas estratégias de colonização.

    Objetivo: Identificar estratégias da colonização portuguesa na Amazônia, nos séculos XVII e XVIII, e suas relações com as condições geográficas e demográficas da região.
    Item do programa: A América colonial portuguesa
    Subitem do programa: Ocupação e exploração econômica do território

    Comentário da questão:

    A região amazônica foi alvo de cobiça entre governos e comerciantes europeus, ao longo do processo de conquista e colonização das terras americanas. Ingleses, franceses e espanhóis ameaçaram o controle dessa região pela Coroa Portuguesa que, em função dessas ameaças, lançou mão de algumas estratégias de ocupação e de exploração daqueles extensos territórios no decorrer dos séculos XVII e XVIII. As imagens ilustram essas estratégias, que estão associadas às seguintes iniciativas: construção de fortes para a defesa das fronteiras das possessões conquistadas; realização de expedições de exploração e de reconhecimento; controle da navegação de rios; estímulo à presença de missões religiosas dedicadas à catequese das populações indígenas; utilização da mão de obra do indígena, em especial na exploração dos recursos naturais da floresta, como a canela, o cacau, o urucum e outras “drogas do sertão”. Note-se que as estratégias de colonização efetivadas pela Coroa de Portugal foram condicionadas por características físicas e demográficas da Amazônia, sobretudo a extensa e por vezes impenetrável floresta tropical, a dispersão dos recursos naturais pela vastidão da floresta, as bacias hidrográficas e suas possibilidades de navegação, a existência de numerosa e diversificada população indígena, por vezes hostil e por vezes amigável frente ao colonizador, ao lado dos grandes vazios demográficos.

     

    2015 - Exame Discursivo - Questão 3
    Disciplina: História

    Ano 7, n. 20, ano 2014

    No Brasil, em finais do século XVIII, o descontentamento com o poder metropolitano deu origem a rebeliões que questionavam o domínio político português. Dentre essas rebeliões, destacam-se a Inconfidência Mineira (1789) e a Conjuração Baiana (1798).

    Aponte duas diferenças entre a Inconfidência Mineira e a Conjuração Baiana. Cite, também, dois movimentos políticos ou filosóficos que influenciaram essas insurreições.

    Objetivo: Discriminar diferenças e semelhanças entre a Inconfidência Mineira e a Conjuração Baiana no contexto de crise do Antigo Regime.
    Item do programa: O sistema colonial em questão
    Subitem do programa: A Inconfidência Mineira e a Conjuração Baiana

    Comentário da questão:

    O descontentamento com o poder metropolitano português, em fins do século XVIII, deu origem a rebeliões que, ao contrário do que acontecia nos séculos anteriores, passaram a questionar o domínio político de Portugal. Entre esses movimentos, destacam-se, pela profundidade e repercussão, a Inconfidência Mineira (1789) e a Conjuração Baiana (1798). Essas duas rebeliões fazem parte de um contexto de crise do Antigo Regime, ao qual pertencia o sistema colonial desenvolvido nas Américas. Dentre os movimentos políticos ou filosóficos que caracterizaram o período e influenciaram a Inconfidência Mineira e a Conjuração baiana, estão o Iluminismo, o Liberalismo, a independência dos Estados Unidos, a Revolução Francesa e o movimento republicano. Apesar das similitudes de influências, essas duas rebeliões guardam algumas diferenças, como sua composição, por exemplo: a Inconfidência Mineira teve um perfil predominantemente elitista, enquanto a Conjuração Baiana contou com a participação mais significativa de camadas populares. Outra diferença marcante é o fato de que o movimento mineiro não apresentou entre as suas propostas a abolição da escravidão, o que era cogitado por algumas lideranças da rebelião baiana.

     

    2015 - Exame Discursivo - Questão 4
    Disciplina: História

    Ano 7, n. 20, ano 2014



    A convocação dos Estados Gerais deu início à Revolução Francesa, ocasionando um conjunto de mudanças que abalaram não só a França, mas também o mundo ocidental em finais do século XVIII.
    Cite um motivo para a convocação dos Estados Gerais na França, em 1789, e apresente duas consequências da Revolução Francesa para as sociedades europeias e americanas.

    Objetivo: Identificar o legado político contemporâneo da Revolução Francesa e sua relação com a crise do Estado francês no século XVIII.
    Item do programa: A Revolução Francesa
    Subitem do programa: Significados e características

    Subitem do programa: Legado para o pensamento político contemporâneo

    Comentário da questão:

    A situação do Estado francês no final do século XVIII era de profunda crise provocada pelo desgaste das estratégias políticas e sociais da sociedade aristocrática e do absolutismo político. Tratava-se de um Estado endividado, sem condições de aumentar os impostos em um país já caracterizado pelos privilégios de origem da aristocracia e sofrendo as consequências de uma conjuntura de profundas crises agrícolas, base de sua economia. Nesse contexto, o rei usou da prerrogativa de convocar os Estados Gerais, uma assembleia de caráter consultivo cujos membros representavam as diferentes ordens ou estados que formavam a sociedade francesa. Sua principal meta era encaminhar uma reforma tributária, cuja principal proposta era a igualdade fiscal: todos os grupos que formavam a sociedade francesa deveriam pagar impostos. A Revolução Francesa, que acabou sucedendo essa convocação, influenciou a história política e social do mundo ocidental. Muitas de suas ideias e propostas continuam sendo bandeiras de diferentes grupos em nossos dias. Dentre essas ideias, destacam-se: afirmação dos princípios políticos e sociais liberais; divisão equitativa do poder político, antes concentrado nas mãos do rei, entre os poderes legislativo, executivo e judiciário; defesa das ideias de liberdade do indivíduo, igualdade jurídica, afirmação da cidadania política e fim dos privilégios de nascimento ou origem nos quais se baseava a sociedade estamental, criando assim as bases da sociedade de classes, com sua hierarquização baseada no poder econômico. A Carta conhecida como Declaração Universal dos Direitos do Homem e do Cidadão sintetiza a importância política do legado revolucionário francês do século XVIII.

     

    2015 - Exame Discursivo - Questão 5
    Disciplina: História

    Ano 7, n. 20, ano 2014


    Observe as obras de pintores brasileiros reproduzidas abaixo. A primeira se insere no contexto do Romantismo, no século XIX, e a segunda no do Modernismo, no século XX, movimentos culturais que difundiram características e símbolos distintos para a identidade nacional.


    A partir de elementos presentes nas pinturas, indique uma proposta do Romantismo e uma do Modernismo que explicitem a forma de cada um representar a composição étnica do povo brasileiro.

    Objetivo: Discriminar, por meio de pinturas associadas aos movimentos Romântico e Modernista, diferenças nas formas de representação da composição étnica do povo brasileiro.
    Item do programa: Restauração e revolução na Europa e na América
    Subitem do programa: O Romantismo e o Realismo

    Item do programa 2: Modernização e modernismos

    Subitem do programa: Escravidão, cidadania, identidade nacional e conflitos políticos no Império do Brasil

    Subitem do programa: O papel das vanguardas artísticas e as novas artes industriais - a fotografia, o cinema, o rádio e a arquitetura

    Comentário da questão:

    Movimentos culturais de naturezas distintas, o Romantismo e o Modernismo, nas suas manifestações nas artes e na literatura, tematizaram a sociedade brasileira, elaborando símbolos, referências e representações para a identidade nacional. Imagens do povo brasileiro relacionadas à sua composição étnica, à língua, à história, às tradições orais e escritas e a variadas práticas culturais foram construídas e difundidas, especialmente por meio de obras de arte, textos literários e ensaísticos. A pintura de Victor Meirelles, “Primeira missa no Brasil”, por exemplo, datada de 1860, integra o conjunto de pinturas históricas associadas ao Romantismo. Ao retratar um dos episódios considerados fundadores da história do Brasil, destaca o indígena na qualidade de habitante originário da terra e da nação, além de valorizar a presença portuguesa, sua ação colonizadora e civilizadora, por meio da expansão da fé católica, na formação do povo brasileiro. A tela de Candido Portinari, “Café”, datada de 1935, por sua vez, é um exemplo dos padrões estéticos associados ao Modernismo. Nela, exibe-se a lavoura do café, valorizando seus trabalhadores braçais, com a presença de negros e mulatos, e também o caráter miscigenado do povo brasileiro.

     

    2015 - Exame Discursivo - Questão 6
    Disciplina: História

    Ano 7, n. 20, ano 2014


    Os motivos que justificaram a Guerra do Paraguai, ou Guerra da Tríplice Aliança, continuam gerando controvérsias cento e cinquenta anos depois.
    Apresente dois motivos que expliquem essa guerra, tendo em vista as disputas na região do rio da Prata durante a segunda metade do século XIX.

    Objetivo: Explicar a relação entre a Guerra do Paraguai e as disputas pelas fronteiras nacionais da região platina.
    Item do programa: O Brasil da monarquia à república
    Subitem do programa: A Guerra do Paraguai

    Comentário da questão:

    A Guerra do Paraguai, ou Guerra da Tríplice Aliança, continua provocando controvérsias mais de um século e meio depois de ocorrida. Algumas das versões tradicionais, construídas a partir da influência dos nacionalismos, tanto brasileiro quanto paraguaio, não resistiram à interpretação criteriosa de antigos documentos e à descoberta de novas fontes. Os principais motivos que explicam o conflito, segundo pesquisadores e historiadores hoje, estão associados a disputas políticas e territoriais regionais, principalmente entre Brasil e Argentina, os Estados mais fortes à época, pelo controle da navegação nos rios Paraguai, Paraná e Uruguai. Esse interesse levou a diplomacia brasileira, por exemplo, a criar entraves à formação de Estados nacionais fortes que pudessem unificar politicamente toda a região platina. O governante paraguaio Solano Lopes, por sua vez, buscava controlar o estuário do Prata, a fim de acessar o oceano Atlântico e, assim, conseguir uma saída marítima para seu país. Essa situação punha em risco o controle territorial por parte do império brasileiro de algumas de suas províncias, como Mato Grosso e Rio Grande do Sul.

     

    2015 - Exame Discursivo - Questão 7
    Disciplina: História

    Ano 7, n. 20, ano 2014


    A partir de meados do século XIX, a expansão urbana passou a ser guiada por um modelo de modernização cujas reformas modificaram profundamente as grandes cidades e a vida de seus habitantes. No início do século XX, o Brasil, apesar de encontrar-se em um contexto diverso do europeu, inspirou-se na reforma efetuada em Paris pelo Barão Haussman. A Reforma Pereira Passos (1902-1906) deu início a um processo de transformação do Rio de Janeiro na “Paris dos Trópicos”.
    Cite dois objetivos da reforma urbana de Pereira Passos e um efeito dessa reforma para o processo de urbanização da cidade do Rio de Janeiro.

    Objetivo: Identificar objetivos e efeitos do processo de urbanização da cidade do Rio de Janeiro desenvolvido durante o governo Pereira Passos.
    Item do programa: O Brasil da monarquia à república
    Subitem do programa: Projetos de república

    Comentário da questão:

    A segunda metade do século XIX foi caracterizada por um processo de urbanização, guiado pelas ideias de modernização e civilização, que modificou profundamente a geografia dos centros urbanos europeus e a história de suas populações. O Brasil sofreu tardiamente os efeitos dessas ideias. Um exemplo que se destaca nesse contexto é a reforma Pereira Passos (1903), desenvolvida no Rio de Janeiro no início do século XX. O prefeito da capital do Brasil, influenciado pelas ideias do Barão Haussman, que havia projetado a modernização de Paris na segunda metade do século XIX, deu início a remodelação do centro da cidade buscando transformar o Rio de Janeiro na Paris dos trópicos. Seus principais objetivos eram: construir grandes avenidas, fazendo desaparecer as estreitas ruas coloniais da cidade; resolver o problema recorrente de insalubridade da área urbana carioca; sanar as deficiências de infraestrutura, tendo em vista o crescimento da população da cidade; dar um ar mais cosmopolita e europeu às ruas da capital, derrubando as inúmeras residências populares existentes no Centro, principalmente os cortiços e as residências coletivas conhecidas como “cabeças de porco”; enfim, remodelar os prédios e ruas do centro financeiro e comercial da capital, expulsando dali o modelo colonial de cidade. Apesar dos benefícios inerentes a esse processo de modernização urbana, como a facilitação da mobilidade e do escoamento das importações e exportações, a reforma gerou transtornos, em especial para as camadas populares, consideradas perigosas. Com a reforma, essa população foi deslocada para as periferias, provocando o crescimento do processo de favelização – alternativa encontrada, por esse segmento, de moradia próxima a seus empregos e ao centro financeiro da cidade.

     

    2015 - Exame Discursivo - Questão 8
    Disciplina: História

    Ano 7, n. 20, ano 2014



    Os movimentos de contestação política ocorridos na década de 1960 tiveram motivações variadas. No Brasil, a Passeata dos Cem Mil foi o episódio mais marcante nesse contexto.
    Aponte dois elementos do contexto político brasileiro da época associados diretamente à ocorrência dessa passeata. Em seguida, apresente um motivo que, em 1968, contribuiu para a eclosão de revoltas em um dos outros países citados no texto.

    Objetivo: Exemplificar elementos do contexto internacional da década de 1960 relacionados às manifestações e revoltas ocorridas em 1968.
    Item do programa: Contestação nos anos 1960 e 1970
    Subitem do programa: Direitos humanos e as revoltas de 1968

    Comentário da questão:

    No início da década de 1960, cresceram as mobilizações políticas de diversos segmentos da sociedade brasileira, como estudantes, sindicalistas, intelectuais e artistas, relacionadas à proposição de variadas reformas – agrária, tributária, educacional, universitária, entre outras. A ocorrência do Golpe Civil-militar em 1964 alterou esse contexto em função da repressão e das perseguições políticas então instauradas. O movimento estudantil, tanto de universitários quanto de secundaristas, manteve e ampliou seus protestos contra o cerceamento das liberdades e contra as medidas de natureza autoritária. A morte do estudante Edson Luís, em 1968, em mais um dos confrontos entre estudantes e as forças da repressão, ampliou a onda de protestos, sendo o principal deles a Passeata dos Cem Mil, como ilustram a foto e o texto. De fato, a década de 1960 foi marcada, internacionalmente, por um conjunto expressivo de manifestações políticas e culturais protagonizadas por jovens estudantes, em diversos países. Variados foram os motivos para essas manifestações, destacando-se: as críticas à Guerra do Vietnã; a expansão dos movimentos de contracultura e a revolução sexual; as repercussões da Revolução Cultural Chinesa, da Primavera de Praga e das lutas de descolonização na Ásia e na África; o crescimento da insatisfação contra a burocracia e as hierarquias do sistema universitário. Esse contexto internacional estimulou jovens estudantes brasileiros nas reações ao autoritarismo dos governos militares.

     

    2015 - Exame Discursivo - Questão 9
    Disciplina: História

    Ano 7, n. 20, ano 2014


    O Holocausto vem sendo cada vez mais associado à memória histórica de sociedades europeias.
    Indique duas repercussões do Holocausto para o contexto internacional posterior ao fim da Segunda Guerra Mundial (1939-1945). Indique, também, a importância simbólica da criação de memoriais como o citado na reportagem.

    Objetivo: Exemplificar repercussões do Holocausto, no momento posterior ao fim da Segunda Guerra Mundial, e explicar a importância de ações atuais referentes à sua memória e à sua história.
    Item do programa: A guerra em dois movimentos
    Subitem do programa: As relações internacionais, políticas e econômicas na Segunda Guerra Mundial (1939-1945)

    Comentário da questão:

    A ascensão do governo nazista na Alemanha viabilizou um conjunto de ações militaristas e expansionistas que culminaram na eclosão da Segunda Guerra Mundial em 1939. Nos territórios alemães e nos que vieram a ser controlados e ocupados pelo nazismo, implantaram-se políticas de perseguição contra grupos considerados ameaças e/ou inimigos, com destaque para judeus, comunistas, homossexuais, ciganos, entre outros. Particularmente com relação aos judeus, implantou-se a “solução final”, destinada à promoção da reclusão e do extermínio desses grupos em campos de concentração e guetos. Com o fim da guerra e a derrota do Eixo, formado por Alemanha, Itália e Japão, os crimes de guerra associados ao extermínio de judeus e de outros grupos foram denunciados e apurados, tendo sido tal genocídio configurado como Holocausto. Entre as repercussões imediatas do Holocausto, destacaram-se: convocação do Tribunal de Nuremberg, em que os crimes cometidos por autoridades nazistas foram apurados e julgados, promovendo a criminalização internacional dessa ideologia e dessa prática política; reforço de ações de valorização dos direitos dos povos no sentido da condenação de quaisquer ações discriminatórias e persecutórias de raças e etnias; fortalecimento da proposta de criação do Estado de Israel, reconhecido pela ONU em 1947. Na atualidade, a história e a memória do Holocausto integram museus e memoriais em diversos países do mundo, em especial os diretamente afetados por esse genocídio, como exemplifica o texto da reportagem. A existência desses memoriais presta homenagem às vítimas no sentido de, por meio das lembranças, evitar que as atrocidades então cometidas sejam esquecidas, estimulando também ações de repúdio e de denúncia contra atos daquela natureza ou similares.

     

    2015 - Exame Discursivo - Questão 10
    Disciplina: História

    Ano 7, n. 20, ano 2014



    O Estado Islâmico criado em regiões do Oriente Médio alterou as relações entre os governos locais e muitas nações ocidentais, gerando novas ameaças e conflitos, como se observa por meio do mapa e da reportagem.
    Identifique uma característica da ação política do grupo que criou o Estado Islâmico. Em seguida, aponte um motivo para a oposição norte-americana à sua existência.

    Objetivo: Identificar estratégias de ação política do Estado Islâmico e os motivos da oposição do governo norte-americano à sua existência.
    Item do programa: Globalização e antiglobalização
    Subitem do programa: Secularização, religiosidade e fundamentalismo

    Comentário da questão:

    O surgimento do Estado Islâmico se insere no contexto da expansão e da divisão de movimentos islâmicos fundamentalistas, entre eles a Al-Qaeda, no Oriente Médio. O Estado Islâmico instalou-se em regiões politicamente conflagradas ou fragilizadas, ocupando territórios da Síria e do Iraque, como ilustram o mapa e a reportagem. Caracteriza-se, entre outros aspectos, pela defesa do militarismo para a expansão do fundamentalismo islâmico – prática associada ao Jihadismo. Adotam-se assim ações extremistas e de terror, como sequestros, assassinatos e saques, com utilização das redes sociais para divulgação desses propósitos, que incluem a crítica ostensiva ao Estado laico e aos princípios democráticos associados ao mundo ocidental e ao imperialismo norte-americano. Entende-se assim a oposição do governo norte-americano à existência e à expansão do Estado Islâmico, que combate diretamente a Al-Qaeda, suas facções e dissidências, além do fundamentalismo islâmico, no cenário das repercussões do atentado às Torres Gêmeas, no Onze de Setembro. Esse combate soma-se às alianças com o Estado de Israel nos conflitos com os países árabes. Por meio dessa oposição, o governo norte-americano busca também salvaguardar seus interesses na exploração e no comércio de petróleo no Oriente Médio, além de sua posição de liderança internacional na defesa dos ideais liberais e democráticos e dos direitos humanos.

     

    2014 - Exame Discursivo - Questão 1
    Disciplina: História

    Ano 6, n. 18, ano 2013

    Os séculos XVI e XVII marcaram a afirmação do absolutismo político na Europa, embora com particularidades em cada reino. Dois exemplos de reis absolutistas são Felipe II, cujos domínios eram tão vastos que se dizia que neles “o sol nunca se punha”, e Luís XIV, conhecido como “rei sol”. 

    Indique duas medidas estabelecidas pelo poder real que tenham auxiliado a afirmação do absolutismo político e dois fatores que funcionaram como resistência ao processo de centralização política.

    Objetivo: Indicar medidas afirmadoras do absolutismo político e fatores de resistência a essa conjuntura.
    Item do programa: A formação dos Estados Modernos europeus
    Subitem do programa: O conceito de absolutismo monárquico

    Comentário da questão:

    Apesar de obedecer a ritmos próprios em cada reino, pode-se afirmar que os séculos XVI e XVII marcaram a afirmação do absolutismo político nos Estados europeus. A afirmação do poder real, contudo, não se deu sem resistência. Os soberanos absolutos não podiam se esquecer do papel que deveriam desempenhar em sociedades que passavam por uma difícil transição após a crise das relações feudais. Dessa forma, os reis absolutistas estabeleceram, também com eficiência que dependia da região onde era aplicado, um conjunto de medidas buscando fortalecer as prerrogativas reais. Dentre essas medidas, estão: unificação da moeda; unificação de pesos e medidas; criação de uma burocracia real; uniformização da língua nacional; unificação da cobrança de impostos; apoio à colonização de novos territórios; formação de exércitos regulares nacionais; estabelecimento de práticas mercantilistas; aplicação da justiça real sobre todo o reino; estabelecimento de relações de controle e convivência com a nobreza. Ainda assim, uma série de fatores limitaram ou impuseram um ritmo mais lento ao processo de centralização do poder político dos soberanos durante a Idade Moderna. Dentre esses fatores, podem-se citar: manutenção dos poderes locais; existência de leis gerais do reino; fortalecimento gradativo do individualismo burguês; resistência de setores nobres à perda de seu poder político; manutenção dos poderes tradicionais ligados à nobreza e à Igreja.

     

    2014 - Exame Discursivo - Questão 2
    Disciplina: História

    Ano 6, n. 18, ano 2013

    A visita do Papa Francisco ao Brasil, em julho de 2013, por ocasião da Jornada Mundial da Juventude, mobilizou milhares de fiéis, representando valores e práticas do projeto missionário da Igreja Católica para a América Latina. No texto, a menção a José de Anchieta aponta para outra época da ação da Igreja: a colonização da América portuguesa no século XVI.

    Explicite o principal objetivo do projeto missionário da Igreja Católica no século XVI. Em seguida, cite uma proposta atual da Igreja Católica associada ao projeto missionário para a América Latina.

    Objetivo: Identificar ações e objetivos do projeto missionário da Igreja Católica na atualidade e no contexto do início da colonização portuguesa na América.
    Item do programa: Os processos de conquista e colonização europeia na América, África e Ásia
    Subitem do programa: Resistências, assimilações culturais e conflitos étnicos

    Item do programa 2: Globalização e antiglobalização

    Subitem do programa: Secularização, religiosidade e fundamentalismo

    Comentário da questão:

    Como instituição religiosa, a Igreja Católica desempenhou e ainda desempenha papel de destaque nas práticas sociais e culturais de diversas sociedades. No processo de conquista e colonização da América portuguesa, no século XVI, a Igreja Católica, por meio de suas ordens religiosas, como a Companhia de Jesus, atuou decisivamente para expansão do Império Ultramarino Lusitano. A catequese e conversão das populações nativas à fé cristã complementaram os esforços de controle e ocupação dos territórios coloniais. Na atualidade, a ação missionária da Igreja Católica na América Latina se pauta na reação à expansão de religiões evangélicas e se vale de ações como a realização de eventos mobilizadores de grandes contingentes de fiéis, como as Jornadas Mundiais da Juventude; o apelo à participação dos jovens na difusão de práticas catequistas e em práticas sociais inclusivas; a aproximação da Igreja de populações pobres e marginalizadas; o uso dos meios de comunicação de massa para a difusão da fé católica.

     

    2014 - Exame Discursivo - Questão 3
    Disciplina: História

    Ano 6, n. 18, ano 2013

    O mapa abaixo apresenta os pontos do Circuito Histórico e Arqueológico da Herança Africana na antiga região do Valongo, localizado na atual Zona Portuária da cidade.


    O texto e o mapa remetem a vestígios deixados pelas relações escravistas na área central da cidade do Rio de Janeiro.

    Explicite o principal motivo para a aglomeração de atividades comerciais, portuárias e negreiras na área central do Rio de Janeiro em meados do século XVIII. Em seguida, aponte um dos objetivos para a criação do Circuito Histórico e Arqueológico da Herança Africana.

    Objetivo: Explicar papel de destaque da área central da cidade do Rio de Janeiro associado ao comércio de escravos, em meados do século XVIII, e justificar uma ação política atual de valorização dessa área.
    Item do programa: A América colonial portuguesa
    Subitem do programa: Ocupação e exploração econômica do território

    Subitem do programa: Práticas culturais, conflitos e negociações entre colonos, colonizados e colonizadores

    Item do programa 3: Globalização e antiglobalização

    Subitem do programa: A informação e a sociedade do conhecimento

    Comentário da questão:

    A expansão do tráfico intercontinental de escravos foi diretamente proporcional à expansão da ação colonizadora portuguesa na América. A descoberta de ouro e a exploração dessa riqueza na região das Minas Gerais, no decorrer do século XVIII, alterou o perfil demográfico dessa região e de áreas do entorno, em especial a cidade do Rio de Janeiro, transformada na principal porta de entrada e de saída de mercadorias e mão de obra escrava para as Minas. Áreas não plenamente ocupadas da cidade carioca até então, como o Valongo – hoje Gamboa, Saúde e Santo Cristo –, foram afetadas pela intensificação do comércio e das atividades negreiras. Na atualidade, em função das obras de remodelação da área portuária do Rio de Janeiro, foi criado nessa área o Circuito Histórico e Arqueológico da Herança Africana. Objetiva-se com isso reconhecer e valorizar o legado cultural de africanos e afrodescendentes para a história da cidade, no sentido de destacar sua função como patrimônio carioca e brasileiro, e difundir conhecimentos e informações sobre escravidão e sobre as relações entre as histórias da África e do Brasil.

     

    2014 - Exame Discursivo - Questão 4
    Disciplina: História

    Ano 6, n. 18, ano 2013

    Na pintura O século das luzes, observam-se elementos representativos do movimento intelectual denominado Iluminismo. Em 1784, o filósofo alemão Immanuel Kant definiu esse movimento como um processo de esclarecimento que permitiu ao homem chegar à sua maioridade.

    Identifique na imagem dois elementos representativos do pensamento iluminista. Associe, também, um desses elementos a uma característica do Iluminismo.

    Objetivo: Discriminar elementos associados ao movimento iluminista, presentes em uma pintura contemporânea.
    Item do programa: A Ilustração e a crise do Antigo Regime
    Subitem do programa: O Movimento Iluminista

    Comentário da questão:

    Na obra “O século das luzes”, o artista Raymond Dumoux tenta dar vida a um conjunto de características do movimento intelectual do século XVIII denominado Iluminismo. Nela, pode-se identificar uma série de elementos que, segundo os contemporâneos, estariam forjando um movimento de esclarecimento do homem, que viveria a sua maioridade como indivíduo, tendo a razão e não a tradição como mestra. Os elementos privilegiados pelo artista na obra e as características iluministas a ela relacionadas são: uso da biblioteca, valorizando o desenvolvimento da razão como elemento fundamental para o esclarecimento do homem; venda de panfletos, indicando a liberdade de pensamento e a busca pela divulgação das ideias pela imprensa; vida ao ar livre, enfatizando uma vida mais ligada à natureza e menos presa aos preceitos religiosos; homens em torno do globo terrestre, apontando para as diversas invenções que ampliaram os horizontes europeus.

     

    2014 - Exame Discursivo - Questão 5
    Disciplina: História

    Ano 6, n. 18, ano 2013

    De acordo com a Constituição norte-americana, de 1787, cada estado da federação poderia decidir pela manutenção ou não do trabalho escravo. A permanência da escravidão no Sul, no entanto, ampliou os conflitos com o Norte do país, levando à Guerra de Secessão.

    Indique uma oposição de ordem política, econômica ou social entre os estados do Norte e os do Sul que tenha contribuído para deflagrar a guerra civil. Apresente, também, a principal consequência político-econômica da vitória dos estados do Norte para o país.

    Objetivo: Identificar diferenças entre os estados do norte e do sul dos E.U.A., deflagradoras da Guerra de Secessão, e principal consequência do desfecho dessa guerra.
    Item do programa: Formação e consolidação do capitalismo nos Estados Unidos
    Subitem do programa: A Guerra de Secessão, significados e efeitos sociopolíticos

    Comentário da questão:

    Apesar de vitorioso, o movimento de independência das 13 colônias inglesas na América, em 1776, deu origem a um Estado cingido por dois modelos de sociedade que se opunham em muitos aspectos, principalmente na questão da utilização da mão de obra escrava como primordial para o desenvolvimento das atividades produtivas essenciais. Com a Constituição de 1787, tentou-se estabelecer uma conciliação entre esses modelos antagônicos, garantindo o direito de cada estado da federação decidir pela manutenção ou não do trabalho escravo. No entanto, as contradições foram se avolumando de tal forma que acabaram provocando uma guerra civil – a Guerra de Secessão. A principal consequência político-econômica desse conflito, com a vitória do norte, foi a consolidação do capitalismo como modelo de desenvolvimento nacional, o que só foi possível após a abolição da escravidão. Observa-se, assim, que as diferenças existentes entre o “norte” e o “sul” dos E.U.A. no século XVIII escondiam uma oposição entre dois modelos de sociedade, a saber, o capitalista (apoiado pelo norte) e o escravista (existente no sul). Na tabela, estão as principais diferenças políticas, econômicas e sociais existentes entre os estados do norte e do sul nessa época.


     

    2014 - Exame Discursivo - Questão 6
    Disciplina: História

    Ano 6, n. 18, ano 2013


    Os trechos apresentam aspectos do pensamento político em duas épocas distintas: o liberalismo proposto por Montesquieu no século XVIII e a crise do liberalismo na crítica de um jornal alemão na recém-estabelecida República de Weimar. 

    Identifique um dos princípios liberais expresso no texto de Montesquieu e a opinião no texto do jornal alemão que contradiz esse princípio. Apresente, também, um fator que explique a crise do liberalismo no período entre as duas grandes guerras.

    Objetivo: Identificar ideias liberais nos contextos históricos do século XVIII e do século XX e explicar a crise do liberalismo no entreguerras.
    Item do programa: A Ilustração e a crise do Antigo Regime
    Subitem do programa: Fisiocracia e liberalismo

    Item do programa 2: Ideologias em movimento, reformas e revoluções

    Subitem do programa: A emergência, valores e práticas dos fascismos e dos nacionalismos no período do entre-guerras, com ênfase nos casos da Alemanha e da Itália

    Comentário da questão:

    O liberalismo é uma filosofia que apresenta propostas para o desenvolvimento humano em todos os aspectos – economia, sociedade e política. Embora tenha surgido no século XVIII, em oposição à ordem do Antigo Regime, o liberalismo vem-se adaptando às mudanças que se sucederam no Ocidente e continua fundamentando práticas e valores até os dias de hoje. Contudo, a filosofia liberal já foi duramente contestada, tanto por propostas vindas da chamada esquerda política – o socialismo –, como, principalmente durante o entreguerras, da extrema direita – os fascismos. O período do entreguerras (1918-1939) foi um contexto marcado por uma grave depressão econômica (Crise de 1929), de certa forma relacionada ao princípio da não intervenção econômica do Estado liberal e à interdependência econômica do mundo capitalista no período após a Primeira Guerra. Outros fatores que explicam essa crise são a falência econômica das potências europeias, resultado indesejado da Primeira Guerra Mundial, e o aumento das pressões de diferentes segmentos sociais pela maior presença do Estado. O primeiro fragmento citado ilustra aspectos do liberalismo clássico, pautado na separação e equilíbrio entre os poderes políticos e na liberdade do indivíduo, propostos por Montesquieu no século XVIII. Já o segundo fragmento ilustra ideias da extrema direita alemã que, já nas primeiras décadas do século XX, criticava o que considerava debilidades do sistema liberal, exigindo o fortalecimento do poder executivo em detrimento dos poderes legislativo e judiciário e dos direitos do indivíduo. 

     

    2014 - Exame Discursivo - Questão 7
    Disciplina: História

    Ano 6, n. 18, ano 2013


    As imagens reproduzem ilustrações de cartilhas escolares difundidas nos governos de Getúlio Vargas, no Brasil, e de Juan Domingo Perón, na Argentina. Durante o Estado Novo no Brasil, toda informação divulgada era controlada pelo Departamento de Imprensa e Propaganda - DIP. 

    Cite, a partir do conteúdo das imagens, uma característica do governo Vargas e outra do governo peronista, respectivamente. Aponte, ainda, duas medidas aplicadas pelo DIP que tenham fortalecido a proposta política do Estado Novo.

    Objetivo: Identificar características dos governos de Vargas e de Perón e apontar medidas de controle político do Estado Novo.
    Item do programa: Estado e industrialização na América Latina
    Subitem do programa: Nacional-estatismo, crescimento industrial e transformações no mundo do trabalho, com ênfase no estudo dos casos brasileiro, argentino e mexicano

    Comentário da questão:

    Durante os governos de Getúlio Vargas (1930-1945), no Brasil, e de Juan D. Perón (1946-1955), na Argentina, a propaganda estatal chegou até mesmo às cartilhas escolares infantis. Nos dois exemplos apresentados, observa-se o culto ao nacionalismo, ao líder, ao modelo tradicional de família, além da valorização da escola como espaço para construção da cidadania. 

    Ressalte-se que, no Brasil, durante o Estado Novo, Vargas criou o Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP), órgão que detinha todo o poder de censurar e de controlar e direcionar a produção nos campos artístico e intelectual, atendendo ao modelo de sociedade desenhado pelo Estado. Dentre as medidas aplicadas pelo DIP no período, destacam-se a censura à imprensa, o controle dos meios de comunicação, a valorização da radiodifusão e do cinema como instrumentos de propaganda estatal e a regulamentação de manifestações culturais populares na defesa de ideias nacionalistas do governo Vargas.

     

    2014 - Exame Discursivo - Questão 8
    Disciplina: História

    Ano 6, n. 18, ano 2013


    O personagem Capitão América, criado em 1941, é um cidadão norte-americano, voluntário na experiência para criar supersoldados que defendam o mundo de ameaças.

    Identifique o conflito internacional em curso na época da criação do personagem. Em seguida,  aponte duas medidas adotadas, nos anos de 1941 e 1942, pelo governo dos E.U.A. com relação ao conflito.

    Objetivo: Identificar conflito internacional em curso no início da década de 1940 e posicionamentos do governo norte-americano a ele relacionados.
    Item do programa: A guerra em dois movimentos
    Subitem do programa: As relações internacionais, políticas e econômicas na Segunda Guerra Mundial (1939-1945)

    Comentário da questão:

    Os efeitos da deflagração da Segunda Guerra Mundial nas diversas sociedades da época foram variados. Iniciado em setembro de 1939, com a invasão da Polônia pelas tropas nazistas, o conflito armado cresceu em extensão e intensidade nos anos de 1940 e 1941, exacerbando temores, na opinião pública de diversos países, acerca de uma iminente vitória do III Reich. Entende-se, nesse contexto, a criação do personagem Capitão América, que, já em sua primeira aventura, como simbolizado pela capa da edição comemorativa das histórias inaugurais, enfrentava o perigo associado à imagem de Adolf Hitler.

    O governo norte-americano nesse momento não enviou tropas para o front, mas apoiou a Inglaterra e a França contra a ofensiva alemã e tentou conter o expansionismo japonês no Pacífico. Para tanto, promoveu o aumento de investimentos na indústria bélica, mobilizou a sociedade civil norte-americana para colaborar com os esforços de guerra e buscou ampliar acordos diplomáticos de cooperação estratégica com outros países americanos, como o Brasil.

     

    2014 - Exame Discursivo - Questão 9
    Disciplina: História

    Ano 6, n. 18, ano 2013

    Os Tratados de Roma, assinados em 1957, instituíram a Comunidade Econômica Europeia e a Comunidade Europeia da Energia Atômica.

    Apresente um aspecto da conjuntura internacional da época que justifique a assinatura dos Tratados de Roma. Em seguida, identifique dois desafios enfrentados pela União Europeia na atualidade.

    Objetivo: Apontar aspectos do contexto de criação da Comunidade Econômica Europeia e identificar impasses atuais da União Europeia.
    Item do programa: A nova ordem de um mundo multipolar
    Subitem do programa: A criação da União Europeia e seus principais impasses

    Item do programa 2: A guerra em dois movimentos

    Subitem do programa: As relações internacionais, políticas e econômicas na Segunda Guerra Mundial (1939-1945)

    Comentário da questão:

    No momento posterior ao fim da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), assistiu-se à reorganização das relações internacionais, caracterizada, principalmente, pela bipolaridade de interesses entre E.U.A. e U.R.S.S. e seus respectivos aliados e/ou áreas de influência. Nesse contexto de Guerra Fria, em que as lutas de descolonização na Ásia e na África igualmente alteraram dinâmicas comerciais e políticas, houve a gradual perda da proeminência econômica europeia no mercado mundial. A criação da Comunidade Econômica Europeia e da Comunidade Europeia de Energia Atômica, em 1957, foram respostas possíveis de governos europeus interessados em facilitar trocas comerciais e atividades financeiras e em estimular a construção de usinas nucleares como alternativa energética.

    Desdobramentos dessas iniciativas culminaram na criação da União Europeia. No momento atual, em especial a partir da crise de 2008, tal instituição vem enfrentando desafios e impasses, como, por exemplo, o crescimento das ameaças terroristas, a desvalorização do euro, a elevação do desemprego, em especial entre a população jovem, o aumento da imigração ilegal, a desaceleração dos índices de progresso econômico, a diversidade dos níveis desse progresso entre os países-membros e o aumento das pressões de grupos ambientalistas pelo fim do uso da energia nuclear.

     

    2014 - Exame Discursivo - Questão 10
    Disciplina: História

    Ano 6, n. 18, ano 2013

    A história latino-americana na década de 1970 foi marcada pela vigência de governos ditatoriais. As fotografias abaixo remetem ao golpe militar ocorrido no Chile em setembro de 1973. 


    Cite duas características comuns aos governos ditatoriais latino-americanos. Em seguida, identifique uma das principais reivindicações da sociedade chilena com relação às heranças do golpe de 1973.

    Objetivo: Identificar características comuns aos regimes ditatoriais vigentes em países da América Latina na década de 1970 e indicar ações da sociedade civil chilena, na atualidade, relacionadas ao processo de democratização.
    Item do programa: As ditaduras civil-militares na América Latina e os movimentos de resistência
    Subitem do programa: Crescimento econômico e desenvolvimento

    Subitem do programa: A luta armada, características das transições democráticas

    Comentário da questão:

    A implantação de governos ditatoriais em países da América Latina, nas décadas de 1960 e 1970, derivou-se de conjunturas específicas das sociedades afetadas por tais transformações. Todavia, observam-se similaridades na vigência e no funcionamento desses regimes, em especial no contexto internacional da década de 1970, dentre elas: apoio norte-americano aos regimes ditatoriais implantados, institucionalização das práticas de tortura, censura e restrição à liberdade de imprensa e de manifestação, participação de grupos militares na deflagração dos golpes de Estado, fortalecimento das prerrogativas do poder executivo, supressão dos direitos políticos de grupos de oposição. No caso do Chile, na atualidade, as muitas heranças do golpe que derrubou o Presidente Salvador Allende, possibilitando a instauração do governo do General Augusto Pinochet, fazem-se presentes. Conforme ilustra a foto de 2011, houve uma crescente mobilização da sociedade civil, cuja pressão viabilizou a instalação de Comissão da Verdade para apurar crimes políticos, como denúncias de torturas, prisões e imposição de exílio, realizados durante o governo Pinochet.

     

©2008-2017, Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Todos os direitos reservados