Revista do Vestibular da Uerj
Uerj DSEA SR-1
Rio de Janeiro, 17/08/2017
Ano 11, n. 29, 2018
ISSN 1984-1604

MUDANÇAS NO VESTIBULAR


O Departamento de Seleção Acadêmica (DSEA), órgão da Sub-Reitoria de Graduação (SR-1) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), anuncia as principais mudanças para o Vestibular Estadual 2018.

[1] Resgata-se a lista de livros de literatura

Há décadas os vestibulares do Rio de Janeiro não cobram a leitura de livros de literatura, provocando o desprestígio da literatura no ensino médio e consequente regressão da habilidade de leitura dos alunos. Conforme anunciado há alguns meses na Revista Eletrônica do Vestibular da UERJ, o próximo Vestibular Estadual resgata a lista de livros de literatura. Esta lista se monta a partir de uma consulta pública na própria revista, quando os leitores, alunos e professores indicaram, em cinco grupos de livros, com cinco livros cada, os livros cuja leitura passa a ser cobrada no Vestibular.

Os livros escolhidos foram os seguintes:

Primeiras estórias, de João Guimarães Rosa

A hora da estrela, de Clarice Lispector 

Dom Casmurro, de Machado de Assis 

Morte e vida severina, de João Cabral de Melo Neto 

• Ensaio sobre a cegueira, de José Saramago

A leitura desses livros será cobrada nos três exames do Vestibular Estadual 2018, distribuída da seguinte maneira: 

• 1º exame de qualificação: Primeiras estórias, de João Guimarães Rosa (os contos “A terceira margem do rio” e “O espelho”) 

• 2º exame de qualificação: A hora da estrela, de Clarice Lispector 

• exame discursivo, na prova de Língua Portuguesa Instrumental: Dom Casmurro, de Machado de Assis 

• exame discursivo, na prova específica de Língua Portuguesa e Literaturas: Morte e vida severina, de João Cabral de Melo Neto, e Ensaio sobre a cegueira, de José Saramago 

[2] Cria-se a prova específica de Língua Portuguesa e Literaturas

A prova específica de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira, feita pelos candidatos de carreiras como Letras e Direito, passa a ser a prova de Língua Portuguesa e Literaturas, já que a lista de livros de literatura contempla, doravante, pelo menos um livro de literatura de língua portuguesa que não seja brasileira – por exemplo, portuguesa, angolana, moçambicana.

[3] Separa-se a prova de Língua Portuguesa Instrumental da prova de Redação

Para valorizar a Redação e aperfeiçoar o processo de correção, a Redação torna-se uma prova isolada, compondo um caderno separado. Desta maneira, a nota Zero na prova de Redação implica a eliminação do candidato, como nas demais provas. O processo de correção da Redação se aperfeiçoa, porque os corretores podem se concentrar apenas na leitura das redações dos candidatos.

A prova de Língua Portuguesa Instrumental torna-se igualmente uma prova isolada, compondo um caderno separado. Igualando-se às demais provas, a prova de Língua Portuguesa Instrumental tem mais 5 questões, passando a contar com 10 questões. Consequentemente, o tempo para o candidato fazer todo o exame discursivo é agora de 5 horas e 30 minutos. 

[4] Amplia-se o caráter interdisciplinar dos exames de qualificação 

Os exames de qualificação são divididos por áreas de conhecimento, de modo a estimular a interdisciplinaridade. Para reforçar essa interdisciplinaridade, os dois exames de qualificação passam a ter uma primeira parte, formada por um texto-base a partir do qual todas as áreas elaboram pelo menos uma questão. Desse modo, um único texto motiva perguntas em todas as áreas e disciplinas. 

[5] Aplica-se um Exame de Qualificação Simulado 

Com vistas a preparar as escolas e os candidatos para a nova configuração do exame de qualificação, cobrando a leitura de um livro de literatura e criando uma primeira parte, formada por um texto-base a partir do qual todas as áreas elaboram pelo menos uma questão, a equipe do DSEA elabora um exame de qualificação simulado. Neste exame simulado também será cobrada a leitura de um dos contos do livro Primeiras estórias, de João Guimarães Rosa: o conto “As margens da alegria”.

Este exame é divulgado e realizado na Revista Eletrônica do Vestibular da UERJ, em março de 2017. Os interessados fazem esse exame on line, com inscrição gratuita. Ao final do exame, o sistema emite um boletim. A Revista publica, depois, uma avaliação do resultado, com estatísticas e discriminação entre as questões.

©2008-2017, Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Todos os direitos reservados